sexta, 06 maio 2016 10:03

Barragem de Cambambe vai ter maior subestação do Pais

O Aproveitamento Hidroeléctrico de Cambambe (AHC) prepara-se para ter a maior subestação de energia do país, uma expectativa que deve ser concretizada quando estiver concluída a construção da segunda central, a reabilitação e alteamento da barragem.

A informação foi prestada 30/5/2016, em Cambambe, província do Cuanza Norte, pelo Director do projecto do AHC, Alberto Carneiro, no decurso da visita do ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, a infra-estrutura.

Alberto Carneiro, que falava à imprensa, afirmou que a subestação vai ter três pátios, sendo o primeiro com capacidade de 60 kilovolts (kV), o segundo com 221 kV e o terceiro com 400 kV. Tecnicamente a barragem está concluída. “Desde a fase de construção inicial sempre esteve definido que produziria até a quota de 180 megawatts”.

Sobre a obra em curso no aproveitamento hidroeléctrico, disse que já foi feito o alteamento da barragem até a quota de 130 megawatts. Disse tratar-se de um projecto onde a parte civil era a mais importante. Alberto Carneiro, disse que a parte civil da empreitada está concluída a 100 porcento, enquanto a montagem dos equipamentos, como a comporta para regularizar a albufeira, arranca nos próximos sete dias. Relativamente à nova subestação disse ter um pátio que considerou ser o maior do país e que tem uma equivalência a dez campos de futebol.

À potência de 180 megawatts, vai se juntar mais 700 megawatts, o que vai constituir um incremento de mais 60 megawatts e que fará um total de 960 megawatts. “Essa produção vai ser transportada para os centros produtores e, ao chegar ao consumidor, muitos dos problemas no fornecimento de energia que existem hoje relativos à produção, deixaram de existir”, informou.

As obras na barragem de Tshihumbwe Dala decorem a bom ritmo

As obras sobre tutela do Ministério da Energia e Águas, do aproveitamento hidroeléctrico do rio Tshihumbwe, no município de Dala, 160 quilómetros da capital da província da Lunda Sul, decorrem a bom ritmo, estando o seu término previsto para Fevereiro de 2017, informou o director do projecto, Mateus Catumbela. A construção da barragem que vai fornecer energia eléctrica às cidades do Luena e Kamanongue (Moxico) e Dala (Lunda Sul), teve início em Julho de 2013 está avaliada em 97 milhões de dólares e terá a capacidade de produzir 12,4 megawatts. A informação, recolhida pelo Centro de Documentação do Ministério da Energia e Águas, no programa Diário Matinal, da emissora provincial da Rádio Nacional de Angola (RNA), o responsável disse que em dois anos de trabalho as infra-estruturas da central e da linha de transportação estão a 50 e 60 porcento da sua execução física, informou Mateus Catumbela.

O caudal e as características geológicas do rio Tshihumbwe atende a potência instalada, acrescentando que numa primeira fase o aproveitamento Hidroeléctrica do Dala fará o transporte de energia para a cidade do Luena e no município de Dala e na segunda fase a mesma fara a transportação no município de Kamanongue. "Para além da potência instalada, o importante neste empreendimento é a interligação do sistema, estão a ser projectadas novas redes e com esta de 110 já é possível nós fazermos a interligação do sistema leste com a entrada em funcionamento das grandes centrais hidroeléctrica que estão a ser construídas no país, com ela teremos maior potência disponível e poderemos atender mais municípios na região", o encarraegado das obras

Fonte: Centro de Documentação e Informação do Ministério da Energia e Águas - CDI - MINEA.

Modificado em sexta, 06 maio 2016 10:04