quarta, 28 maio 2014 11:05

Aumenta energia na orla fronteiriça

Angola e a Namíbia iniciaram no município do Calai, Cuando Cubango, conversações para definir  um novo acordo que permite aumentar a capacidade de fornecimento de energia eléctrica de baixa tensão às sedes municipais  e comunais de todas as localidades da orla fronteiriça.

O novo acordo permite abastecer de energia eléctrica, a partir do mês de Julho, os municípios do Cuangar, Calai, Dirico e a comuna do Luiana, pertencente ao município do Rivungo.

Para concretização deste acordo, o secretário de Estado da Energia de Angola, Engenheiro Joaquim Ventura, esteve reunido no município do Calai com o seu homólogo da Namíbia, Paulinus Shemba, que é também director-geral da empresa de electricidade da Namiba, Nampower. 

Joaquim Ventura disse que o encontro entre delegações dos dois países surge numa altura em que a energia eléctrica consumida nos municípios do Calai, Cuangar, Dirico e na comuna do Mucusso, proveniente da Namíbia, está em fase de saturação, devido ao elevado nível de consumo por parte da população.O secretário de Estado da Energia referiu também que com base no reforço da cooperação o Executivo pretende electrificar, até 2017, todas as sedes municipais, comunais e aldeias com maior aglomeração populacional da orla fronteiriça com a Namíbia, tendo em vista a criação de infra-estruturas sociais e económicas junto às duas fronteiras.

Desde Janeiro que os dois países estão a preparar estudos para a identificação de prioridades e definição das responsabilidades dos investimentos de cada uma das partes para a construção de infra-estruturas de média e baixa tensão.

“Vamos fazer um trabalho em paralelo com a Namíbia que pretende estruturar a sua rede de transporte de média tensão, que vai consistir na edificação de sistemas de transformação de potência. Nós vamos actuar na construção da rede de baixa tensão, que vai resultar na expansão da energia eléctrica domiciliar e iluminação pública”, salientou.

O director-geral da Nampower, Paulinus Shemba, manifestou disponibilidade para fornecer energia a todas as sedes municipais, comunais e aldeias do Cuando Cubango, na fronteira com a Namíbia. “A Namíbia há dez anos que fornece 1.175 megawatts de energia aos municípios do Calai, Cuangar, Dirico e à comuna do Mucusso, o que tem sido insuficiente para as necessidades da população, fruto do aumento do consumo,” frisou.

O reforço da capacidade de fornecimento de energia a Angola passa pela conclusão dos estudos de viabilidade para a criação de novas infra-estrutura na rede de transporte de alta e média tensão.

O primeiro memorando de entendimento no domínio da energia entre Angola e a Namíbia foi assinado em 2002, que resultou, a partir de 2004, na electrificação das sedes municipais do Cuangar, Calai, Dirico e comuna do Mucusso.

O Cunene é outra província angolana que recebe energia eléctrica da vizinha Namíbia. 

A referida linha parte da localidade de Onuno, na República da Namíbia, e transporta 132 KV (oito megawatts) para fornecer energia à vila fronteiriça de Santa Clara, à vila de Namacunde e à cidade de Ondjiva, capital da província do Cunene.

Fonte:Centro de Documentação e Informação do Ministério da Energia e águas - CDI - MINEA